O ObservaRH realiza pesquisas em todas as áreas da saúde. Para consultar, selecione uma das categorias abaixo:

O processo de trabalho na alta complexidade no contexto das políticas de controle do câncer no Brasil

Download
Compartilhe

Tipo: Mestrado Profissional

Autor: Sant´ana, Denise Rangel
 
Orientador: Celia Regina Pierantoni
 
Resumo:
Esta dissertação examina em que medida as políticas nacionais para o controle do câncer no Brasil organizam o processo de trabalho na alta complexidade oncológica (ACO), por meio dos recursos humanos em saúde (RHS) – oncologistas clínicos, radioterapeutas e físicos médicos – vinculados às Redes Estaduais de ACO, a partir das definições estabelecidas pela Portaria SAS/MS N.º 741/2005. Trata-se de um estudo de caso exploratório. Nele foi realizado um sucinto panorama da oncologia
dentro da conjuntura histórica da saúde; apresentadas as três portarias ministeriais direcionadas ao controle câncer no País, e exemplificado, através de relato técnico e referencial teórico baseado nas três dimensões que permeiam os RHS propostas por Pierantoni: estrutural, gerencial e regulatória, de como aconteceu a divulgação das políticas para o controle do câncer no país, e os primeiros desenhos estaduais das redes de serviços de saúde de ACO. Algumas situações observadas sinalizam que,
enquanto alguns dos instrumentos existentes na área da oncologia ainda são poucos utilizados pelos gestores no seu processo de planejamento e gestão, outros precisam ser aprimorados. O estudo de caso foi sobre a Rede de Atenção Oncológica do Município do Rio de Janeiro de 2008, composta por hospitais federais, estaduais, municipais, universitários e filantrópicos, todos na gestão municipal. No plano das análises destacam-se três elementos: a caracterização desses serviços de saúde; os parâmetros de cobertura assistencial e produção ambulatorial de quimioterapia e radioterapia e o número e carga horária dos RHS. O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde do Departamento de Informação do SUS (DATASUS) e o Sistema de Informação Ambulatorial são utilizados como fontes de dados por representarem um banco de dados que podem contribuir para a gestão da área oncológica, ampliando, assim, sua utilidade para o SUS. Por fim, os achados possibilitam uma reflexão tanto pela ótica da gestão do trabalho quanto da gestão da educação em saúde, de como está se configurando a alta complexidade oncológica e quais os atuais limites e possibilidades para incluir o dimensionamento das categorias profissionais estudadas nos instrumentos normativos ministeriais.
 
Palavras-chave: Oncologia. Política de saúde – história. Recursos humanos em saúde. Tecnologia em saúde. Gestão em saúde.

Download
Compartilhe



Gratuito, 100% a distância, curso Monitoramento e avaliacão de serviço de Atenção Domiciliar visa preparar... https://t.co/o2Fy5x2GR8
Amanhã, dia 28/06 ))) Atividade "Criando as 3 áreas de concentração", que acontecerá às 11 horas, no auditório do... https://t.co/2PTJUmFeF6
Termina hoje, dia 26/06, o prazo para submissão de trabalhos para o programa principal do 4º Fórum Global sobre... https://t.co/Fl61WBhrMK
Todos os direitos reservados © ObservaRH-IMS/UERJ - 2013