O ObservaRH realiza pesquisas em todas as áreas da saúde. Para consultar, selecione uma das categorias abaixo:

Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde: uma reconstrução histórica e política

Download
Compartilhe

Tipo: Doutorado

Autor: Garcia, Ana Claudia Pinheiro 

Orientador: Celia Regina Pierantoni

O presente estudo busca avaliar se os processos gerenciais e a estrutura organizacional do setor de recursos humanos das secretarias estaduais e municipais refletem os investimentos técnicos, políticos e financeiros alocados pela área de gestão do trabalho e da educação, em nível nacional. Mais ainda, identificar avanços e retrocessos, nós críticos e os rumos para a consolidação da área. Parte do princípio de que os recursos humanos são um tema central na agenda de desenvolvimento das políticas públicas de saúde e constituem-se em um fator essencial e crítico para o alcance das metas propostas no planejamento e implementação de sistemas nacionais de saúde mais eficientes. No caso do Brasil, é fato que dirigentes de recursos humanos na área da saúde enfrentam problemas que se perpetuam desde a implantação do Sistema Unico de Saúde. Nos anos recentes, o Ministério da Saúde, via Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, para além de estabelecer as diretrizes nacionais da política nesse campo, vem implementando estratégias indutoras para a execução e qualificação da gestão do trabalho e da educação em estados e municípios. Para realização dessa tese, além da revisão bibliográfica e documental, foram utilizados os dados primários do survey aplicado em pesquisa realizada pela Estação Observatório de Recursos Humanos em Saúde IMS/UERJ; grupo focal com responsáveis pelas estruturas de recursos humanos das secretarias de saúde dos estados e das capitais; entrevistas semi-estruturadas com atores envolvidos na condução da política nacional de recursos humanos e formadores de opinião. Foi também destacado o estudo de caso do estado do Rio de Janeiro – pioneiro no modelo de estruturação da área no âmbito do SUS. Os resultados revelam que o esforço de implementação da política de recursos humanos pela esfera federal não tem sido capaz de redirecionar de forma mais permanente os processos de formação e trabalho nas outras instâncias do sistema de saúde, com vistas aos objetivos do sistema de saúde brasileiro. Embora sejam observadas mudanças pontuais, mantém-se o distanciamento discurso x práxis que condiciona uma baixa institucionalidade da área, tanto no campo da política, como da gestão.

Download
Compartilhe



Prêmio de Incentivo em Ciência, Tecnologia e Inovação para o SUS - inscrições até 06/09!... https://t.co/i8c6jqj9Qx
Debate da reformulação da PNAB extrapola as entidades e reforça a importância da APS para o país... https://t.co/scLBeB6ZJP
Já estão disponíveis os Anais do 3º Congresso de Política, Planejamento e Gestão em Saúde! O documento traz a... https://t.co/UCsgRnL0Zk
Todos os direitos reservados © ObservaRH-IMS/UERJ - 2013